CABO VERDE CRIA MUSEU AMÍLCAR CABRAL

Padrão

Jornal Folha 8 – Angola

Um museu em homenagem a Amílcar Cabral será fundado em Cabo Verde com o objectivo de valorizar e divulgar o legado escrito do pai da identidade cabo-verdiana.

cabral

O anúncio foi feito pelo presidente da Fundação Amílcar Cabral, o ex-chefe de Estado cabo-verdiano Pedro Pires, durante a apresentação pública do “Memória sem Confins – A Descoberta de Cabo Verde”, que vai ser levado a cabo pela instituição em parceria com a Fundação Lelio e Lisli Basso da Itália.

Este projeto é financiado pela União Europeia (UE) num montante de 274 mil e 500 euros no âmbito do programa temático para actores não estatais e autoridades locais no desenvolvimento (Promoção da Cultura 2013).

Pedro Pires revelou que o Museu Amílcar Cabral contribuirá para dignificar, valorizar e prestar a devida atenção à divulgação do legado escrito do fundador e líder do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), a força política que conduziu à luta de libertação dos dois países contra o colonialismo português.

Cumulativamente, pretende-se também dotar a cidade da Praia de mais um centro de atração dos seus munícipes e dos seus visitantes, disse Pedro Pires, esclarecendo que o projecto será promovido em parceria com a Câmara Municipal da Praia (CMP) com o apoio do Governo.

O antigo Presidente da República de Cabo Verde (2001-2011) esclareceu que o museu é o contributo que a Fundação Amílcar Cabral pretende dar para a “superação” dos diversos e “complexos” desafios que o desenvolvimento turístico cultural coloca e faz parte de um conjunto de ações que o projeto “Memória sem Confins – A Descoberta de Cabo Verde” pretende levar a cabo em 24 meses da sua implementação.

“Neste projeto há o lado da preservação e tratamento da documentação e, por outro lado, há o fornecimento pela Fundação Lelio e Lisli Basso da documentação adicional que não tínhamos, sem esquecer o lado formativo que é fundamental, porque ainda os nossos guias turísticos não dominam certos conhecimentos do turismo cultural em relação à própria história”, explicou.

Neste sentido, ele aponta que a criação duma seção museológica sobre a memória, formações, realização de um itinerário turístico cultural são algumas das atividades que o projeto pretende levar a cabo para preservar a memória e combater as dificuldades económicas no país, ao contribuir para o “reforço” da valorização cultural e, por outro lado, oferecendo novos recursos culturais e turísticos culturalmente “atrativos e competitivos”.

“O objectivo é agir junto dos atores na área do turismo para que o façam da melhor maneira, apresentem Cabo Verde da melhor maneira e que a identidade e a cultura cabo-verdiana sejam melhor conhecidas”, precisou o ex-Presidente cabo-verdiano.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s