A tenda (Al Khayma) é considerada como a primeira unidade social na sociedade saraui. Constitui não somente uma unidade espacial que serve de espaço habitacional, mas refere-se também ao conjunto das relações que vinculam os membros de uma mesma família.  A tenda, neste sentido, representa o conjunto das relações concretas da família, uma denominação tirada da habitação tradicionalmente construída pelo homem saraui com pelagem de camelo e lã de ovelha.

Depois que a tenda, por muitos anos, refletia os traços de uma vida dura e sinônimo da solidão no saara, hoje ela tem uma nova cara ou significado no Marrocos e ela é uma estimação por todos considerada, simbolizando a modernidade e herança cultural exigendo assim sua reserva permanente.

A tenda saraui ficou mantida embora os saranianos començam, nos centros urbanos, a viver nos apartamentos e casas, mas isso não os afastou da tradição. Muitos vão até pelo menos no final da semana ou nas ferias para montar a tenda.

A diferença que se faz dela para cá, segundo eles, e que as tendas de hoje foram equipadas com todas as necessidades modernas.

Construção

A palavra Al khayma representa o conjunto dos aspectos da relação familiar. Tem a sua origem no  lugar tradicional feito pelo homem saraui a partir da pele de camelo e da crina de caprinos.

A tenda (Al khayma) apresenta-se sob a forma de bandas de tecidos chamadas localmente Aflig. O número de bandas varia entre sete e dez. Estas bandas são cosidas com uma grande agulha chamada Mkhit e um fio da mesma textura das bandas, chamado Khit Annira.

Para medir o comprimento dos fios, os sarauis enrolam-nos em torno dos seus braços. O comprimento de cada medida de fio situa-se entre catorze e dezasseis braços. A sua largura está compreendida, em geral, entre um braço e meio a dois braços.          

A tenda (Al khayma) é armada em seguida com duas vigas chamadas Arkayiz, instaladas nas duas extremidades opostas. Estas duas vigas são ligadas entre si por uma corda chamada Al hamar.

A tenda (Al khayma) é fixada em seguida no solo com piques, chamados Akhwalef. Estes piques são dispostos em círculo com uma Lakfiya.

Depois de ser instalada a entrada, a tenda é dividida em dois compartimentos por uma Albaniya. O primeiro espaço é destinado aos homens enquanto que o segundo é reservado às mulheres. A tradição exige que a entrada da tenda esteja situada no lado Sul, em direcção à Meca (Al gabla).

Al gabla é de utilidade geográfica, mas determina, sobretudo, um conceito civilizacional  de ordem  económica, política, cultural e social.

REF: Site Cultural do Sara

IMAGEM 1: pozuelo.saharalibre.es

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s